VI

Ora sabeis de epístolas e mates
De ameríndias paixões e confidências guardadas
A quatro paredes conservadas por quantos dentes nos sobrem em boca
Nada fora do comum
Pois de comunidades fartos refazemos moradas
De outeiros arruídos onde abundaram serpes e sujos mendigos
Para que assim preservados em medo
Nós
Bolhas de excreta lançados ao mundo
Não rompamos em drogas e suicídios
Virtudes maiores nesses nossos tempos

Nenhum comentário:

Postar um comentário