Mandarim

Meu olho iluminava teu corpo
Bijuteria brilhando ao sol
Imagem tão bela quanto falsos diamantes
Tão eterna quanto a porcelana fabricada nas oficinas
da República Popular da China

Poesia em mandarim são teus olhos
Um ocidente de arregaladas comunas
Vórtice brilhante de inspirações
Me deixando suspiroso a buscar versos
Que iluminem o lilás dos teus desejos

E sigo idolatrando teus seios
Subindo antenas de TV para teu nome os ventos escutarem
Pois não há orvalho tão doce quanto teu suor
Nem tão perfumadas pétalas
Quanto o olor dos teus pequenos lábios

Nenhum comentário:

Postar um comentário