Santidades

I
Nossos dias sempre foram assim
Cachoeiras pela manhã
Café quente e Bom Dia Brasil
Buscamos pontos de equilíbrio
Nas pétalas das flores
Mas asas de borboletas eram e voaram
Como orvalho secando ao sol
Assim foram nossos dias
Tardes quentes
Versos livres
Culinária, nudez e outros amores
Cigarras ao por do sol
À noite,
Luzes rodando sobre nossas cabeças
Éramos assim...
Mais pra lá do que pra cá

II
Ah, quanta ousadia
Das bocas das crianças
Às falas dos sacerdotes
Tudo se quer falar
Quase nada há de ouvir
Ou a Deus obedecer
Ou o Diabo mandar
Sem muita opção
Se cala o poeta
Como quem chora de amor
Em meio ao passeio público

Nenhum comentário:

Postar um comentário