Temporal

Me falta tempo...
Falta como se fugisse de mim
Como eu fujo de igreja
E de pegar ônibus lotado
E de atravessar a ponte
Porque toda travessia demanda tempo
E te digo: me falta tempo!

Escorre feito lágrima no meu rosto
Escorre entre meus dedos
e pelas minhas pernas apressadas
Sempre que lembro dos amores passados
- E eu amei muito...

Mas me falta tempo!
Sempre que vejo outras pessoas felizes
Com seus bolsos cheios de dias livres
Com seus dentes brancos de horas vagas
Com seus passos lentos
De quem volta do porto
E eu passo apressado
Inimigo das horas
Tento chegar na frente do relógio de ponto
Mas nunca consigo
Porque o tempo corre
De segunda a segunda
Quando tento sentar e ler
Ou escrever linhas
Do desejo e das frustrações
E as frustrações são inevitáveis!

Então desisto de perseguir
De correr como um maratonista
Atrás de algo que jamais para
Pois já se foram os dias em que o tempo parava
Para eu beijar as meninas e morrer de amor
Hoje em dia não se morre mais de amor
Hoje em dia não há mais tempo

Então abro a gaiola do rato
Que corre sem sair do lugar
E desisto do impossível
Para viver o improvável
Agora não há mais tempo
Somente mar e sol ou lua ou noite de estrelas
Agora só há flores e cervejas e carne de porco frita
E baseados para fazer dormir a manhã

E como quem mata Deus
Eu quebro meus relógios
Antes que o despertador toque
Pra que o sol não se levante
Pra que as flores do jardim não murchem
Pra que as lojas de conveniências não abram
Pra que os semáforos continuem sempre assim
Desligados