Uma preta

Uma preta atrás da porta
Aberta escura à direita
Encosta seu corpo branco
Sobre o meu
Corpo pulsante
Uma preta atrás da porta
À mostra seu dorso nu
Aberto às escuras deito
Sob seus pelos crespos
E encontro essa fêmea mulher
Quando miro em um espelho
Cobrindo cavalo a pelo
Cavalgante valete preto
Subo às transversais vias
De sua plumagem negra
Com curvas leves à esquerda
De seus impecáveis seios

Nenhum comentário:

Postar um comentário