Múltiplos

Quero ser múltiplos
Não daqueles mínimos e comuns
Dos que nivelam por baixo
Que pensam que o comum
É igual, é uni, é mono
Que se encontram num denominador
Para dividir o que é equivalente

O comum multi, é poli, é pluri
Quero a multiplicação do ser
Do ver, do estar, do sentir
E de tantos outros verbos quanto possíveis
Na variação linguística
Da práxis
do existir

Respiremos os denominadores diferentes
Ouçamos as opções improváveis
Das múltiplas escolhas
Sem que haja gabarito oficial
A solução comum é mínima
É excludente
É enclausurante
É vestibular

Quero viver a desconstrução do léxico
A palavra que acaba de nascer
O sopro ao pé da orelha
Na cola que encontra o saber
E o ressignifica em cumplicidade
Em invenção criativa
Em passe de mágica

Não quero ser múltiplo no mínimo
Em arco-íris que só tem sete cores
Em pretos e brancos
Em rezas pros mesmos santos
Quero fazer juntinho
Com quem odeio
E ver que é bom
E dizer: amei!

Sejamos múltiplos
No per-mi-tir-se
No multiplicar a si
Para todos os elementos
Do conjunto Universo

Nenhum comentário:

Postar um comentário